Salles: redução de verba prejudicou fiscalização contra desmatamento

Áudio

Por Lucas Pordeus León - Repórter da Rádio Nacional - Brasília

O ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, reconheceu que a redução do orçamento para a pasta prejudicou a fiscalização do desmatamento. Porém, ressaltou que o corte de recursos para a área ocorre há, pelo menos, oito anos.

O ministro foi à Comissão do Meio Ambiente na Câmara dos Deputados nesta segunda-feira. A deputada Joenia Wapichana, da Rede de Roraima, autora do requerimento da audiência pública com o Salles, criticou o aumento do desmatamento nos últimos anos, além da diminuição do orçamento do Ministério em cerca de 10% em 2021, na comparação com o ano anterior.

O ministro Ricardo Salles defendeu que os deputados poderiam direcionar mais recursos ao ministério por meio de emendas parlamentares. Ele admitiu o impacto dos cortes à fiscalização, mas atribuiu às gestões anteriores as maiores reduções no orçamento.

Em 2013, o orçamento do Ministério chegou a R$ 14 bilhões. Em oito anos, houve uma queda de 80%. Neste ano, o Brasil terá cerca de R$ 2,9 bilhões para investir na área ambiental. O ministro Salles também foi questionado sobre a imagem do país no exterior em relação às políticas ambientais, como argumentou o deputado Alessandro Molon, do PSB fluminense.

Em resposta, o ministro do Meio Ambiente reforçou que tem construído um diálogo com potências estrangeiras para tratar sobre o tema.

Ricardo Salles foi questionado ainda sobre a redução de cerca de 20% no número de multas aplicadas pelos órgãos de fiscalização em 2020, apesar do desmatamento ter aumentado no ano passado. O ministro argumentou que o número menor de autuações é um reflexo da pandemia, com redução das atividades em todo o país.

Edição: Bianca Paiva/ Luiz Cláudio Ferreira

Comentar

HTML restrito

  • Você pode alinhar imagens (data-align="center"), mas também vídeos, citações e assim por diante.
  • Você pode legendar imagens (data-caption="Texto"), mas também vídeos, citações e assim por diante.