Cartórios de Mato Grosso já estão utilizando o reconhecimento facial em diversos serviços

Áudio

Por Jurandir Antonio – Voz: Vinícius Antônio

Texto do áudio:
Para evitar que as pessoas precisem ir até aos cartórios, gerando aglomerações e tempo de espera, uma empresa de Mato Grosso desenvolveu tecnologia de reconhecimento facial para que diversos serviços possam ser realizados de maneira remota.

A alternativa, além de garantir mais agilidade, é uma resposta à pandemia do novo coronavírus, em que atividades antes consideradas rotineiras passaram a oferecer risco de contaminação.

O sistema possibilita o reconhecimento de firmas, procurações e lavraturas de escrituras sem a presença física da pessoa.

À distância, documentos podem ser gerados de forma eletrônica e assinados digitalmente entre as partes e o tabelião.

A tecnologia de reconhecimento facial já está sendo testada nos cartórios do 7º Ofício em Cuiabá, 2º Ofício em Várzea Grande, 2º Ofício em Lucas do Rio Verde e no 2º Ofício em Alta Floresta.

A tecnologia é possível por meio do mapeamento das características do rosto de cada pessoa, como a distância entre os olhos e o tamanho do nariz.

A extração dos chamados pontos nodais forma uma assinatura facial. Como estas características costumam ser únicas em cada pessoa, o sistema de reconhecimento é praticamente sem falhas.

Sistemas de biometria facial já existem em todas as partes do mundo e já fazem parte do dia a dia de países da Europa e Estados Unidos.

Todos os gigantes da informática, como o Google, a Microsoft e o Facebook vêm aperfeiçoando as aplicações do reconhecimento facial.

Em Mato Grosso, a expectativa é que o sistema possa ser disponibilizado também para outros segmentos além de cartórios, como para as áreas de segurança pública e privada.

Comentar

HTML restrito

  • Você pode alinhar imagens (data-align="center"), mas também vídeos, citações e assim por diante.
  • Você pode legendar imagens (data-caption="Texto"), mas também vídeos, citações e assim por diante.