Brasil é o país que registrou o maior número de jornalistas mortos por covid-19 no mundo

Áudio

Por Jurandir Antonio – Voz: Vinícius Antônio

Texto do áudio:

O Brasil é o país que registrou o maior número de jornalistas mortos por covid-19 no mundo.

Foram 169 mortes registradas de abril de 2020 a março de 2021, superando o Peru, que registrou pouco menos de 140 mortes.

O dado faz parte do dossiê “Jornalistas vitimados por covid-19” elaborado pela Fenaj, Federação Nacional dos Jornalistas, divulgado esta semana.  

O estudo também mostra que em três meses o número de mortes em 2021 supera todo o ano de 2020, quando foram registradas 78 mortes de abril a dezembro.

Em 2021, são 86 vítimas, percentual 8,6% maior que no total de 2020.

 

São Paulo, Pará e Amazonas são os Estados que registram o maior número de vítimas da covid-19 entre jornalistas.

O estudo apontou ainda que 55% das mortes na categoria se concentram na faixa etária de 51 e 70 anos.

Porém, a média de idade das jornalistas mortas por covid-19 é bem mais baixa do que a dos homens. Enquanto a média geral de idade é
de 61 anos, a das mulheres é de 43 anos.

O relatório também aponta que a média mensal de mortes passou de 8,5 em 2020, para 28,6 mortes por mês em 2021, aumento de 264% no número médio de vítimas.

O primeiro caso de morte por covid-19 entre jornalistas no Brasil foi registrado em abril de 2020, mês em que 7 profissionais perderam a vida.

O primeiro mês de 2021 chegou à marca de 26 mortes, 1/3 do número total verificado no ano anterior. Em fevereiro ocorreram 13 mortes. Em março, o pior mês da pandemia na categoria jornalística, foram 47 mortos.

Comentar

HTML restrito

  • Você pode alinhar imagens (data-align="center"), mas também vídeos, citações e assim por diante.
  • Você pode legendar imagens (data-caption="Texto"), mas também vídeos, citações e assim por diante.