Pesquisadores divulgam estudo inédito sobre dinossauro brasileiro

Áudio

Por Solimar Luz - Rio de Janeiro

Pesquisadores do Museu Nacional da Universidade Federal do Rio de Janeiro e da Universidade do Contestado, em Santa Catarina, apresentaram nesta terça-feira (15)  os dados sobre o crescimento ósseo da espécie de dinossauro brasileiro Vespersaurus paranaensis. 

O estudo aponta que o crescimento desse tipo de animal era mais lento do que o das aves, por exemplo. Isto porque apresenta um tipo de tecido ósseo incomum para dinossauros, com alto grau de organização de fibras nos ossos.

Segundo os pesquisadores, a redução da taxa de crescimento desse dinossauro pode significar a necessidade de adaptação ao ambiente árido onde a espécie habitava.

Com 1,5 m comprimento, ele  viveu na região noroeste do Paraná há cerca de 90 milhões de anos. Os pesquisadores constataram que a espécie é única no mundo devido ao formato dos pés.

O mestrando Geovane Alves de Souza, um dos autores da pesquisa, ressalta que esses resultados contribuem para a investigação da história evolutiva do planeta.

Para o diretor do Museu Nacional, Alexander Kellner, além da importância histórica, a pesquisa surge em um momento importante para a instituição, que passou por um incêndio, em 2018, mas que, mesmo assim, vem se reerguendo e reforçando a capacidade de produzir ciência de ponta e de qualidade.

Edição: Ana Pimenta

Comentar

HTML restrito

  • Você pode alinhar imagens (data-align="center"), mas também vídeos, citações e assim por diante.
  • Você pode legendar imagens (data-caption="Texto"), mas também vídeos, citações e assim por diante.