No Iraque, papa Francisco denuncia violência contra a minoria Yazidi

Áudio

Por Márcia Bechara, da Rádio França Internacional - Paris

O papa Francisco chegou nesta sexta-feira (5) ao Iraque para uma visita histórica a um país destruído pela guerra. “Chega de violência, extremismo e intolerância”, disse Francisco em Bagdá. Ele exortou o Iraque a lutar contra a corrupção, a construir a justiça e denunciou, na capital iraquiana, as barbáries sem sentido do grupo Estado Islâmico contra a minoria Yazidi, quando milhares de mulheres foram reduzidas à escravidão sexual.

“Eu não posso deixar de me lembrar dos Yazidis, vítimas inocentes das barbáries sem sentido e desumanas, perseguidos por causa de suas crenças religiosas e cuja identidade e sobrevivência foram ameaçadas”, disse ele às autoridades.

Essa é primeira viagem do santo pontífice a um país estrangeiro desde o início da pandemia de covid-19. Vamos ouvir um trecho do discurso do papa em Bagdá.

Francisco terá um programa carregado nesses três dias de visita em que atravessará o Iraque, onde deve expressar seu apoio à comunidade cristã e também deverá se encontrar com o mais alto líder religioso xiita do país, o aiatolá Ali Sistani.

As autoridades locais renovaram as cidades e os monumentos históricos pela passagem do papa e, pela primeira vez, em algumas décadas, algumas localidades voltaram a ter eletricidade.

Comentar

HTML restrito

  • Você pode alinhar imagens (data-align="center"), mas também vídeos, citações e assim por diante.
  • Você pode legendar imagens (data-caption="Texto"), mas também vídeos, citações e assim por diante.