Ministério da Saúde lança campanha contra o Aedes Aegypti

Áudio

Por Anna Luisa Praser - Brasília

Em tempos de covid-19, a gente não pode não pode esquecer da dengue. Neste ano esse assunto tá meio apagadinho, o que não quer dizer que o mosquito da dengue não esteja fazendo vítimas por aí. Em 2020, 971.136 casos da doença já foram registrados e 528 pessoas acabaram morrendo.

O Paraná e estados da região Centro-Oeste como Mato Grosso do Sul, Distrito Federal e Mato Grosso registraram maior número de contaminações. O Ladécio Brito, de 31 anos mora no Distrito Federal foi um dos que acabou pegando dengue.

Para reduzir o número de casos, o Ministério da Saúde lançou nesta terça-feira (24), a campanha nacional de Combate ao Mosquito Aedes aegypti. É que esse inseto é bem pequeninho, mas faz um estrago enorme. Isso porque além da dengue, ele transmite outras duas doenças: a zika e chikungunya.

Só para ter uma ideia, 78.808 pessoas tiveram chikungunya esse ano, principalmente na Bahia e do Espírito Santo, que concentram mais de 67% dos casos. Outras 7.000  pessoas contraíram zika.

A maioria dos infectados, 45%, vivem também na Bahia e no Rio Grande do Norte. É por isso que o Secretário Executivo do Ministério da Saúde, Elcio Franco, fala da importância de se combater o vetor dessas doenças.

A campanha do Ministério da Saúde vai passar nas rádios e TVs até o dia 31 de dezembro, mas o nosso trabalho de não deixar acumular água em potes de plantas, garrafas, pneus e objetos que possam ser criadouros do mosquito da dengue deve durar o ano todo. 

Edição: Joana Lima

Comentar

HTML restrito

  • Você pode alinhar imagens (data-align="center"), mas também vídeos, citações e assim por diante.
  • Você pode legendar imagens (data-caption="Texto"), mas também vídeos, citações e assim por diante.